Levante Ideias - Eleições

Fundo Eleitoral triplicado

Conforme antecipado na edição da quinta-feira (15), o Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias foi aprovado por deputados e senadores para que fosse decretado o recesso parlamentar.

Na Câmara, o placar foi de 278 votos favoráveis, 145 contrários e 1 abstenção.

Já no Senado Federal, a votação foi mais apertada – 40 votos a favor e 33 contra.

Foram alvo de discussão, porém, alguns pontos aprovados passíveis de crítica e a matéria agora segue para sanção presidencial, podendo haver vetos no texto chancelado pelo Congresso Nacional.

Em acordo que uniu oposição e governo, o Fundo Especial de Financiamento de Campanha (FEFC, ou fundo eleitoral no linguajar popular) passou de R$ 2 bilhões – montante despendido nas eleições municipais de 2020 – para R$ 5,7 bilhões, um aumento de quase 200%.

O acordo foi feito às pressas e, de última hora, siglas que poderiam ter vetado o aumento do “fundão” ainda na Comissão Mista de Orçamento, como Cidadania e Podemos, orientaram voto a favor da medida.

Outro ponto polêmico da LDO foi a inclusão das emendas do relator-geral do Orçamento – que também causaram problemas no início deste ano, quando da aprovação da LOA de 2021.

O mecanismo foi criado em 2019 e serve de controle para distribuir dinheiro para obras apontadas por deputados e senadores da base aliada.

A discussão deve voltar à tona na tramitação da LOA de 2022, que será enviada pelo governo ao Congresso até o dia 31 de agosto.

Por fim, destaque para a autorização de “transferências especiais” para emendas de bancada.

Esse recurso, que é utilizado para enviar dinheiro diretamente para estados e municípios de modo mais célere e sem fiscalização do Tribunal de Contas da União, em tese seria restrito às emendas individuais.

No projeto aprovado, porém, os parlamentares estenderam o direito às emendas de bancada.

Houve a mesma tentativa na LDO de 2021, o presidente acabou vetando a iniciativa, o Congresso derrubou o veto, mas o imbróglio foi parar no STF (Supremo Tribunal Federal).

E Eu Com Isso?

O aumento substancial do fundo eleitoral teve repercussão negativa na sociedade e também nos mercados durante essa quinta-feira (15).

Por se tratar de uma despesa primária sujeita ao teto, o fundo de financiamento de campanhas reduz a quantia de recursos disponíveis para outras políticas públicas – com certeza, de maior relevância.

O mercado deve continuar com tom negativo sobre o tema, em meio à aprovação destes pontos polêmicos.

Há a possibilidade de veto, mas, da mesma forma, ele pode ser derrubado novamente pelo Congresso Nacional.

A notícia é negativa para os mercados.

Este conteúdo faz parte da nossa Newsletter ‘E Eu Com Isso’.

e-eu-com-isso

Leia também: Votação da LDO.

O conteúdo foi útil para você? Compartilhe!

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook

Recomendado para você

Levante Ideias - Banco Central
E eu com isso

O novo cenário para o Copom

Começa nesta terça-feira (26) a penúltima reunião do Copom (Comitê de Política Monetária) de 2021. Há dois aspectos incomuns nesse encontro. O primeiro deles é

Read More »
Levante Ideias - Petrobras
E eu com isso

Venda da Petrobras

No mesmo dia em que foi anunciado mais um novo ajuste de alta nos preços do diesel e da gasolina para as distribuidoras, o governo

Read More »

Ajudamos você a investir melhor, de forma simples​

Inscreva-se para receber as principais notícias do mercado financeiro pela manhã.