guerra comercial

Falas de Trump e indicadores positivos na Europa

Donald Trump voltou a acionar sua metralhadora giratória e disparou novos ataques contra a China. Na quarta-feira (20) a Casa Branca divulgou relatório de 20 páginas culpando Pequim por “atividades malignas”. O texto critica políticas econômicas, regime militar, violação de direitos humanos e práticas desinformação do governo chinês. 

Trump está menos preocupado com a situação dos direitos chineses, e mais tenso com as eleições presidenciais americanas marcadas para novembro. Pesquisas indicam que Joe Biden, o provável candidato democrata, tem cerca de 50 por cento das intenções de voto, ao passo que Trump, já confirmado como candidato republicano, tem 39 por cento da preferência do eleitorado. 

As eleições ainda estão longe. Há vários problemas no caminho – além da pandemia, a disputa comercial com a China não dá mostras de estar acabando – mas Trump já está em campanha. Daí as declarações apimentadas. No entanto, elas arrefeceram parte das altas dos últimos dias. Nesta manhã, tanto os contratos futuros do índice americano S&P 500 quanto os contratos futuros do Ibovespa estão iniciando os negócios com leve baixa.

CONFIANÇA RENOVADA – Se no curto prazo o movimento do mercado é de incerteza, a médio prazo é possível esperar uma melhora. Um importante indicador antecedente, o Índice dos Gerentes de Compras, mais conhecido pelo nome em inglês Purchasing Managers Index (PMI), mostrou sinais de recuperação na Europa.

O PMI é um índice clássico e seu método é simples. Os pesquisadores questionam os gerentes de compras de empresas de grande porte e perguntam se eles pretendem comprar mais, menos ou a mesma quantidade no mês seguinte. A conclusão de que as companhias pretendem comprar mais é um importante indicador de dias melhores à frente na economia.

Foi o que ocorreu nesta quinta-feira. Os índices de gerentes de compras da Zona do Euro, da Alemanha e do Reino Unido mostraram resultados melhores do que os esperados. O PMI composto da Zona do Euro subiu da mínima histórica de 13,6 em abril para 30,5 em maio. Na Alemanha, a alta foi de 17,4 em abril para 31,4 em maio, e no Reino Unido o índice subiu de 13,8 em abril para 28,9 em maio.

Esse aumento da confiança estendeu-se também ao Brasil. Segundo a Fundação Getulio Vargas, a prévia da Sondagem da Indústria de maio de 2020 sinaliza avanço de 2,4 pontos do Índice de Confiança da Indústria (ICI) em relação aos 60,6 pontos de abril

INDICADORES – Os pedidos iniciais de seguro-desemprego dos Estados Unidos voltaram a cair e recuaram para 2,438 milhões de pedidos na semana encerrada em 16 de maio. Foi uma queda de 249 mil pedidos em relação à semana anterior, informou o Departamento do Trabalho americano. O indicador da semana anterior foi revisado para baixo, recuando de 2,981 milhões de pedidos para 2,687 milhões, uma queda de 294 mil pedidos.

O cenário de médio prazo é de uma retomada da confiança, mas esse caminho está longe de ser suave e previsível. Ao contrário, os movimentos do mercado tendem a permanecer com volatilidade no curto prazo. Nesta quinta-feira, as declarações de Trump estão motivando uma realização das altas dos últimos pregões. Por outro lado, os dados positivos comentados anteriormente devem prevalecer. Neste cenário, o dia começará com uma leve alta por aqui.

* Este conteúdo faz parte do nosso boletim diário: ‘E Eu Com Isso?’. Todos os dias, o time de analistas da Levante prepara as notícias e análises que impactam seus investimentos. Clique aqui para receber informações sobre o mercado financeiro em primeira mão.

Leia também: Jerome Powell, presidente do Fed, descarta adotar juros negativos

Compartilhe

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook

Ajudamos você a investir melhor, de forma simples​

Inscreva-se para receber as principais notícias do mercado financeiro pela manhã.

Recomendado para você

Artigos

Resultados do 2T20 da CVC

A CVC (CVCB3) apresentou nesta segunda-feira (20), após o fechamento do mercado e com atraso, seus resultados do segundo trimestre de 2020. Como era de

Read More »
Política Sem Aspas

O desafio do teto – parte I

No Comentário de nº 9 da Instituição Fiscal Independente, “Considerações sobre o teto de gastos da União”, Felipe Salto, Daniel Couri e Josué Pellegrini recortam

Read More »
Fechar Menu

Fechar Painel