copasa-div

Copasa (CSMG3): resultados do primeiro trimestre

A Companhia de Saneamento de Minas Gerais (CSMG3) divulgou, no dia 30 de abril, seus resultados referentes ao primeiro trimestre de 2020. A sua receita foi boa e em linha com as expectativas, mas o Ebitda e o lucro líquido e vieram abaixo do esperado.

O principal destaque positivo foi a receita, que registrou o total de 1,2 bilhão de reais com crescimento de 9,5 por cento na comparação anual e acima do crescimento dos custos e despesas, que aumentaram 7,5 por cento na mesma base.

Já o destaque negativo foi a queda nos lucros, cujo resultado foi de 160 milhões de reais no período e 13 por cento abaixo do apresentado no 1T19. O lucro menor foi reflexo da variação cambial sobre dívida em moeda estrangeira.

Os resultados apresentados pela Copasa foram regulares, com lucro abaixo do esperado, mas acreditamos que o mercado prestará mais atenção aos impactos do Covid-19 na operação da empresa, com aumento do nível de inadimplência. Esperamos impacto negativo no preço das ações no curto prazo.

O principal responsável pelo crescimento da receita foi o reajuste tarifário médio de 8,38 por cento – autorizado em agosto do ano passado, o que compensou a queda nos volumes medidos de água (-1,7 por cento) e esgoto (-0,8 por cento) neste trimestre.

O resultado antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) atingiu 474 milhões de reais, com margem Ebitda de 38,1 por cento, queda de 0,3 pontos percentuais em relação ao mesmo período de 2019.

Por fim, a queda no lucro líquido foi decorrente da maior despesa financeira do período, cujo montante total foi de 92 milhões de reais, mais que o dobro da despesa apresentada no primeiro trimestre de 2019. O aumento do custo da dívida é devido à valorização do dólar e do euro, dado que cerca de 10 por cento da estrutura da dívida da companhia é atrelada a tais moedas.

A relação dívida líquida/Ebitda foi reduzida na comparação com o mesmo período do último ano: passou de 2,0x para 1,5x. Este ponto é importante e positivo para os acionistas da empresa, pois a sua política de dividendos é relacionada a este indicador e sua queda pode representar maiores distribuições à frente, principalmente após o entendimento dos impactos da pandemia da Covid-19 nas operações da empresa.

* Este conteúdo faz parte do nosso boletim diário: ‘E Eu Com Isso?’. Todos os dias, o time de analistas da Levante prepara as notícias e análises que impactam seus investimentos. Clique aqui para receber informações sobre o mercado financeiro em primeira mão.

Leia também: Saneamento básico (SBSP3, CSMG3, SAPR11): aumento da inadimplência

Compartilhe

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook

Ajudamos você a investir melhor, de forma simples​

Inscreva-se para receber as principais notícias do mercado financeiro pela manhã.

Recomendado para você

Artigos

Resultados do 2T20 da CVC

A CVC (CVCB3) apresentou nesta segunda-feira (20), após o fechamento do mercado e com atraso, seus resultados do segundo trimestre de 2020. Como era de

Read More »
Política Sem Aspas

O desafio do teto – parte I

No Comentário de nº 9 da Instituição Fiscal Independente, “Considerações sobre o teto de gastos da União”, Felipe Salto, Daniel Couri e Josué Pellegrini recortam

Read More »
Fechar Menu

Fechar Painel