Levante Ideias - Domingo de Valor

IPO da XP: você ainda não abriu sua conta em uma corretora no exterior?

Antes de começar, eu tenho duas notícias para você, investidor brasileiro. Uma delas é boa. A outra, nem tanto.

A primeira notícia, não tão boa, é que será muito difícil para você fazer seu pedido de reserva na abertura de capital (Initial Public Offering, IPO) da XP. Você, provavelmente, só poderá comprar ações da XP quando elas começarem a ser negociadas na Nasdaq, a partir do dia 12 de dezembro. Mas só se você tiver uma conta aberta numa corretora de valores nos EUA.

Se você não tem uma conta aberta, está mais do que na hora de você se tornar cliente de uma corretora de valores dos Estados Unidos para começar a investir em ativos no Exterior. E aqui vem a notícia boa: o processo é bem simples e algumas corretoras oferecem até sites em português (caso da Avenue).


O mapa para Wall Street

Investir no exterior é mais fácil do que parece. Recomendo a leitura do e-book O Mapa para Wall Street (https://conteudo.semaspas.com/o-mapa-para-wall-street/), preparado pela equipe de conteúdo do portal informativo Sem Aspas, parceiro da Levante.

XP: porque abrir capital na Nasdaq e não na B3?

Sendo a XP uma empresa brasileira e pioneira no mercado de capitais do Brasil, qual a razão de abrir seu capital nos Estados Unidos, permitindo só a pouquíssimos de seus 1,5 milhão de clientes no Brasil participarem do IPO?

A minha resposta, mais intuitiva, é que talvez o Brasil esteja ficando pequeno para a XP. A empresa pode estar pensando em uma segunda onda no processo de democratização dos investimentos. Afinal, só uma pequena parcela (menos de 5%) dos brasileiros investe no Exterior.

Visão geral da XP

A XP é a maior plataforma digital independente de serviços e produtos financeiros do Brasil. A companhia tem cerca de 1,5 milhão de clientes. Ela oferece cerca de 600 produtos financeiros diferentes. Seu total de ativos custodiados, no fim do terceiro trimestre deste ano, era de R$ 350 bilhões.

Supermercado financeiro

A XP é a pioneira no mercado de plataformas digitais de produtos de investimentos, com participação de mercado de cerca de 5% do total de ativos sob custódia – e isso em um mercado que é 93% dominado pelos cinco maiores bancos brasileiros.

Modelo de negócios

O modelo de negócios da companhia possibilita um alto retorno sobre o capital investido. A empresa tem poucos ativos físicos (asset-light) e desfruta de alta escalabilidade, com foco na diversificação de clientes interessados em investir no Brasil e no Exterior.

Vantagens competitivas

A principal vantagem competitiva da XP é o efeito rede: a empresa foi pioneira no desenvolvimento de sua plataforma digital. Uma plataforma proprietária, aberta e com amplo uso de tecnologia, que lhe permite oferecer 600 produtos para investidores por meio de cerca de 5,9 mil escritórios de agentes autônomos de investimentos, possibilitando a democratização dos investimentos para as pessoas físicas no Brasil.

A vantagem competitiva da empresa é grande: a XP é cerca de 8x a 10x maior do que o segundo colocado de plataformas digitais no Brasil.

O poder das marcas da empresa (XP, Rico e Clear) e o pioneirismo na oferta de serviços financeiros no Brasil, com a introdução do conceito de “supermercado financeiro” para investidores, confere uma vantagem competitiva adicional.

Alta eficiência operacional e liderança de mercado

O negócio é majoritariamente online e realizado por meio de aplicativos de celular, fato que possibilita uma eficiência operacional elevada.

A distância para o segundo colocado em termos de participação de plataformas digitais é enorme. Tal distância é devida ao tamanho da XP e ao nível de oferta de produtos financeiros de terceiros.

Estratégia digital

A companhia é muito eficiente em sua estratégia digital, com baixo Custo de Aquisição de Clientes (Customer Acquisition Cost, CAC), o qual fica bem abaixo do “valor financeiro da vida do cliente” (Life Time Value, LTV). Em suma, as receitas provenientes dos clientes superam – e muito – o custo de aquisição do cliente.

A relação entre LTV/CAC está em 13 vezes, ou seja, a receita gerada pelo cliente durante toda sua vida de relacionamentos com a XP supera seu custo de aquisição em 13 vezes.

Qualidade do serviço

A qualidade do serviço prestado pela XP pode ser medida pelo “Net Promoting Score” (NPS), nota que os clientes usuários da plataforma (sites e aplicativos) conferem à XP. Sua avaliação neste sistema é de 71 pontos em uma escala de 0 a 100, uma avaliação muito positiva de experiência dos seus usuários.

Condições da oferta

Na faixa média do intervalo de preço de US$ 23,50 por ação (US$ 21 a US$25), o valor da oferta deverá ficar no intervalo de US$ 1,8 bilhão a US$ 2,1 bilhões, considerando todo o lote adicional da oferta secundária, com valor de mercado na faixa de US$ 12,1 bilhões a US$ 13,8 bilhões (R$ 51,6 bilhões a R$ 58,6 bilhões, considerando o dólar a R$ 4,25).

Múltiplo preço/lucro

As projeções da Levante apontam para um lucro líquido recorrente de R$ 1,3 bilhão em 2020 e de R$ 1,9 bilhão em 2021, crescimento suportado pelo forte crescimento dos ativos sob custódia, pelo cross-selling de produtos e pela eficiência do canal digital de distribuição de produtos.

O múltiplo preço/lucro 2021 projetado da XP é de 29x, comparado ao múltiplo do Banco BTG de 12,4x na B3.

Preço justo das ações da XP

O valor de mercado justo da XP seria, assumindo um múltiplo preço/lucro projetado de 20x em 2023, de R$ 85,9 bilhões, um potencial de valorização de 46% sobre o preço topo da oferta, de US$ 25 por ação, com retorno composto anual médio (Compound Annual Growth Rate, CAGR) de 10% ao ano de 2019 a 2023.

A Levante tem projeção de longo prazo de lucro líquido para a XP: R$ 4,3 bilhões em 2023.

Conclusão

Acredito que a relação risco e retorno das ações da XP é favorável, pois deve haver um forte crescimento anual de 50% nos lucros da empresa até 2023. Tal crescimento é decorrente da vantagem competitiva proporcionada por seu  modelo de negócios.

O múltiplo preço/lucro mais caro no curto prazo mais do que vai compensar o forte crescimento de lucros da XP no futuro.

A Levante Ideias de Investimentos preparou um relatório completo e gratuito sobre o IPO da XP, clique aqui e aproveite.

Como ter exposição ao IPO da XP nos EUA investindo em ações aqui no Brasil

Uma alternativa para investir no IPO da XP é comprar ações do banco Itaú e/ou da Itaúsa na B3, pois o valor de mercado da XP ainda não está totalmente no preço das ações do Itaú/Itaúsa.

O banco Itaú Unibanco tem 49,99% de participação no capital da XP (antes da oferta), com valor de mercado da participação na XP de R$ 29,3 bilhões, equivalente a 8% do valor de mercado do Itaú – R$ 3,00 por ação (ITUB4).

A Itaúsa tem indiretamente 18,73% de participação na XP (antes da oferta), com valor de mercado da participação na XP de R$ 11 bilhões, equivalente a 9,8% do valor de mercado da Itaúsa – R$ 1,30 por ação (ITSA4).

O conteúdo foi útil para você? Compartilhe!

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook

Recomendado para você

Levante Ideias - Selic
E eu com isso

Até onde os juros podem subir?

Será uma surpresa gigantesca se o Copom (Comitê de Política Monetária) anunciar outra decisão nesta quarta-feira (04) a não ser uma elevação de 100 pontos-base

Read More »
Levante Ideias - Câmara dos Deputados
E eu com isso

Segundo parecer

Com um dia de atraso no cronograma inicialmente previsto, o deputado Celso Sabino (PSDB-PA) apresentou seu segundo parecer sobre o Projeto de Lei 2.337/2021, que

Read More »
Levante Ideias - XP Investimentos
E eu com isso

Resultados da XP do 2T21

A XP Inc (XP) apresentou, nesta terça-feira (03), após o fechamento do mercado, os seus resultados do segundo trimestre de 2021. A companhia já havia

Read More »

Ajudamos você a investir melhor, de forma simples​

Inscreva-se para receber as principais notícias do mercado financeiro pela manhã.